Governo de Sergipe amplia videomonitoramento a 100% das escolas da rede estadual

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), está investindo em sistema de tecnologia, a fim de garantir mais segurança nas escolas. Serão fornecidos serviços de videomonitoramento, incluindo instalação, operacionalização, gerenciamento e manutenção dos equipamentos e softwares, para as unidades escolares e prédios da Seduc.

O secretário Josué Modesto dos Passos Subrinho avalia que tornar as escolas mais segura faz parte de um planejamento de investimentos de modernização da rede estadual que perpassa também por tecnologia, infraestrutura, gerenciamento de dados e em recursos humanos. “Com o quadro de vigilância em conjunto com o sistema de videomonitoramento tornamos as escolas da rede estadual 100% monitorada e mais segura. As escolas recebem aportes de maquinários mais modernos e necessitam de investidos também em segurança”, afirma.

Em 2017, um projeto-piloto foi iniciado em 48 unidades escolares com a instalação de câmeras, monitoramento em tempo real, botão de pânico fixo e móvel, o que resultou na redução de 92% no índice de deterioração do patrimônio público, verificado no período de dois anos.

A partir de uma central instalada no Núcleo de Segurança Escolar é possível acompanhar, em tempo real, o que acontece em prédios administrativos da Seduc e nas escolas, por meio de um Sistema de Monitoramento Eletrônico por Vídeo, de ótima funcionalidade. O monitoramento eletrônico implantado pelo órgão permite ligação direta entre as escolas e o Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública), que organiza e encaminha ações das Polícias Civil, Militar, Técnica e do Corpo de Bombeiros.

As escolas contempladas pelo sistema de monitoramento estão equipadas de câmeras, software e dispositivo de pânico silencioso. Toda vez que alguém adentra em local não autorizado, será gerado um alerta com imagens do que causou a violação, e tanto a Polícia quanto o Núcleo são avisados da ocorrência.

O monitoramento também acontece nos momentos em que a escola está fechada, por meio de agendamento prévio feito com o auxílio dos gestores escolares. Nesses horários pré-agendados, os locais estratégicos das escolas são monitorados e qualquer detecção de movimento irá gerar o alerta.

De acordo com o coordenador de segurança da Seduc, José Ferreira de Souza Júnior, até o momento são 248 unidades escolares com o sistema de tecnologia em funcionamento e previsão de 100% das escolas até o início de março, o que confere à Seduc um sistema completo de videomonitoramento junto com o trabalho de 1.272 vigilantes efetivos, 270 vigilantes terceirizados e, mesmo durante a pandemia, a contratação de mais 35 novos vigilantes.

“Com a criação do núcleo de segurança escolar em 2017, a Seduc passou a gerir a segurança nas escolas e buscar iniciativas que viessem a melhorá-la, como o grupo de apoio 24h. Ou seja, qualquer situação de emergência que venha a ocorrer nas unidades, a equipe dirige até o local”, explica o coordenador José Ferreira de Souza Júnior.

Esse fato é confirmado pelas gestoras da Escola Estadual Professor Ruy Eloy, situada no bairro Matadouro, e do Centro de Excelência Professor Gonçalo Rollemberg Leite, localizado no bairro Grageru, ambas em Aracaju. As duas unidades de ensino foram contempladas com as instalações do sistema de segurança em 2017 e de lá para cá viu os índices de insegurança reduzidos em 96%.

Iara Azevedo é gestora da Escola Estadual Professor Ruy Eloy desde 2017. Quando ela chegou para exercer a função, as instalações foram efetivadas, tendo a oportunidade de observar as mudanças ocorridas durante esse período até os dias de hoje. Segundo Iara, foram instaladas as câmaras e o botão de pânico fixo e móvel, o que facilitou as funcionalidades de segurança. “A partir de 2018 os arrombamentos e furtos passaram a diminuir. Quando alguém inoportuno adentrava a escola, logo eram detidos pela segurança da unidade após serem identificados pelas câmeras”, relatou.

Para Liliane Pina, gestora do Centro de Excelência Professor Gonçalo Rollemberg Leite, antes de instalar o sistema havia depredações e pequenos furtos. Depois da instalação do sistema de segurança não houve mais nenhum episódio dessa natureza.

“O sistema de monitoramento só traz benefícios para a escola porque nós ficamos sempre monitorando pelo celular. Sendo assim, no final de semana ou à noite, quando queremos conferir se está tudo bem, conseguimos ver. Temos aqui o botão de pânico, e diante de qualquer incidente que aconteça, ele é acionado e os agentes vão imediatamente. Isso dá uma segurança e uma tranquilidade maior para a nossa unidade e o nosso trabalho. Todos os funcionários e alunos se sentem mais seguros”, concluiu.

Fonte: Aqui Acontece