Interjato Soluções

Gastos com energia em data center aumentam 10% ao ano, diz Gartner

O segmento de data centers e cloud computing é um dos de maior crescimento no mercado de TI atualmente. Entretanto, o gasto energético destas estruturas também está crescendo exponencialmente. Segundo o Gartner, os gastos fixos com energia estão aumentando cerca de 10% ao ano, resultado de um maior custo por quilowatt-hora (kWh) e pela demanda subjacente especialmente por servidores de alto consumo de energia.

Para a consultoria, otimizar a utilização de energia é uma das principais prioridades dos responsáveis pelos Data Centers, mas esse objetivo ainda apresenta sérios desafios, uma vez que os gastos com eletricidade representam a maior fatia dos custos dos data centers. Cerca de 10% dos gastos operacionais de um data center são com energia e essa porcentagem subirá para 15% nos próximos cinco anos.

O índice PUE (Power Usage Effectiveness, ou consumo eficiente de energia) tornou-se o padrão do mercado para medir a eficiência na utilização da energia dentro de um Data Center. No entanto, segundo Henrique Cecci, Diretor de Pesquisa do Gartner, embora a métrica do PUE tenha como foco o consumo eficiente de energia dos componentes do data center dentro da empresa, ela não oferece informações sobre a melhoria no nível dos equipamentos de TI.

“Na maioria dos casos, a melhora no consumo de energia dos aparelhos de Tecnologia da Informação pode resultar em uma melhoria como um todo”, diz Cecci, que listou cinco passos para maximizar sua eficiência e ter ainda como ‘Passo 0’ medir e monitorar a utilização de energia.

Melhorar o consumo de energia de TI

Como os sistemas de TI são os que mais exigem entrega de energia, os responsáveis pelos data centers precisam tentar diminuir a quantidade de energia (carga) que cada equipamento de TI consome. Como 60% dessa carga é utilizada pelos servidores, é importante tomar as seguintes medidas para ajudar a reduzir a energia que eles consomem: virtualizar e limpar as cargas de trabalho, suprimir tudo o que não é necessário, consolidar as máquinas virtuais, continuar a eliminar os servidores que estão ligados sem terem utilidade e substituir os servidores antigos por novos.

Aproveitar melhor o espaço no data center.

Os data centers criados antes do surgimento da virtualização de servidores podem estar superestimados para as necessidades atuais dos equipamentos, sendo possíveis a redução da quantidade de aparelhos e a consequente diminuição de consumo.

Fonte: Canal Tec

0 Comments