Interjato Soluções

Busca por segurança contra novo coronavírus cresce 40%

(Foto: Divulgação – ACidadeON)

Uma pesquisa da Abese (Associação Brasileira das Empresas de Segurança Eletrônica) mostrou um crescimento de 40% da procura por soluções de segurança voltadas às novas demandas surgidas com a pandemia da covid-19.

Segundo o Abese, a pesquisa ouviu 227 estabelecimentos entre indústrias, distribuidores e prestadores de serviço de todo o país nos meses de abril e maio.

Um dos produtos que tiveram um aumento nas buscas foi o reconhecimento facial e também as câmeras térmicas. Na RMC (Região Metropolitana de Campinas) teve empresa que viu este mercado e criou produtos novos.

A Came do Brasil, empresa sediada em Indaiatuba, por exemplo, lançou uma linha completa com três produtos que possuem tecnologia de controle de acesso e que atendem às necessidades de distanciamento social: a Catraca Avir 800, o Totem de álcool gel com termômetro e o Thermo Scanner.

A Catraca Avir 800 pode vir equipada com uma câmera térmica como acessório para medir a temperatura e com um compartilhamento para a higienização das mãos. Caso a temperatura corporal da pessoa esteja alta ou ela não faça a higienização das mãos, o sistema não autoriza a sua passagem.

O Totem de álcool gel com termômetro é o produto que, além de eliminar o vírus das mãos, vem com um termômetro que faz o controle da temperatura corporal e, caso alguém esteja com a temperatura elevada, a empresa pode tomar as providências necessárias.

Já o Thermo Scanner é capaz de aferir a temperatura a partir do reconhecimento facial 3D com precisão de 99%. A passagem só é liberada, caso a pessoa esteja com a temperatura dentro do desejado e esteja cadastrada no sistema. A tecnologia faz o reconhecimento facial mesmo se a pessoa estiver de máscara.

“Em tempos difíceis como esse, buscamos criar soluções que tragam benefícios para as pessoas a partir de tecnologias que facilitem a vida delas. Os três novos produtos evitam o contato físico e, consequentemente, diminuem os riscos de contaminação. A tendência é que as empresas invistam no controle de acesso automatizado para garantir a segurança exigida pelas autoridades sanitárias”, explica Marco Barbosa, diretor da Came do Brasil.

Fonte: ACidadeON

0 Comments