Interjato Soluções

Escola pública de Porto Alegre ganhará câmeras que identificam quem está sem máscara

Fonte: GHZ | Projeto piloto começará em colégio da rede municipal

A rede municipal de ensino de Porto Alegre testará nos próximos dias uma nova tecnologia que promete trazer mais segurança a estudantes e professores. Câmeras de monitoramento serão instaladas na Escola de Ensino Fundamental Emílio Meyer, no bairro Medianeira. Neste primeiro momento, três câmeras serão programadas para identificar e avisar sobre pessoas que circulam pelo colégio sem máscara. Os equipamentos serão colocados até o dia 5 de maio. Eles integram o projeto Olho Mágico, desenvolvido pela Companhia de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa). Thank you for watching

As câmeras serão instaladas em três locais de grande circulação de pessoas. De acordo com o analista de informação da Procempa Márcio Scherer, a ideia é que seja feito um monitoramento de forma discreta.

— Ela identifica se a pessoa está sem máscara. O equipamento não apita e não expõe a pessoa quando ela passa sem máscara na frente da câmera. Ele apenas emite um sinal para uma central – explica.

A foto com o rosto e a localização exata é encaminhada para quem for indicado pela escola para realizar  o monitoramento. Pode ser por e-mail ou aplicativo de mensagens.A ideia é de, a partir da experiência na escola Emílio Meyer, expandir o procedimento para as outras 98 escolas da capital. De acordo com a diretora técnica da Procempa, a expansão deve ser rápida.

— Como é uma solução para a pandemia, elas devem estar operando em no máximo três meses — destaca Débora.

O custo de cada equipamento é de cerca de R$ 550. A Procempa estuda a possibilidade de aproveitar as câmeras de monitoramento já existentes nas escolas, segundo o supervisor de infraestrutura Sérgio Claser.

— Precisamos ver se essas câmeras que já existem irão funcionar com este sistema.

A secretária municipal de Educação, Janaina Audino, diz que a pasta ainda avalia os custos para definir se irá investir no projeto.

— Trata-se de uma tecnologia que tem o mérito de um viés pedagógico, já que estimula o cumprimento de uma das principais regras de prevenção à contaminação pelo coronavírus, por meio do convencimento, da educação, que é a mais eficaz de todas. Temos o máximo interesse na implantação desse sistema. Resta agora o levantamento dos custos desta iniciativa em toda a rede municipal de ensino.

Futuramente, a estrutura pode ser utilizada para monitoramento comportamental, identificação de estranhos na escola, para segurança e até mesmo para controle de presença dos alunos.

Veja + noticias: Blog Interjato

0 Comments