Interjato Soluções

Energia solar: investimento em painéis gera economia de 95% na conta de luz

Com a crise hídrica, o custo da energia elétrica tem subido nos últimos meses, com o acionamento da bandeira vermelha no patamar 2 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para reduzir a despesa com a conta de luz, muitos consumidores têm investido na instalação de painéis fotovoltaicos, que podem gerar uma economia de 95% no fim do mês.

Segundo levantamento do Portal Solar, holding de energia solar no país, o interesse em projetos fotovoltaicos em telhados e pequenos terrenos cresceu 117% de janeiro a maio deste ano.

O custo do kit de painéis para geração de energia solar, porém, não é baixo, começando em média em R$ 15 mil. Para uma família de quatro pessoas de classe média, com uma conta de luz mensal entre R$ 400 e R$ 500, o investimento pode sair por um valor entre R$ 20 mil e R$ 25 mil.

Mas, segundo Rodolfo Meyer, presidente do Portal Solar, que reúne empresas do setor, o valor pago pelos painéis é compensado pela economia na conta de luz em três a seis anos, dependendo do estado onde o consumidor morar.

Funciona da seguinte forma: a energia gerada por meio dos painéis solares é introduzida na rede da concessionária da região. Por exemplo, no estado do Rio seria a Light ou a Enel, dependendo do município.

O consumidor então recebe um crédito correspondente à energia gerada, consumindo assim a eletricidade da distribuidora normalmente. No fim do mês, porém, paga apenas o valor da tarifa mínima e da taxa de iluminação pública, além do excedente que foi consumido, se houver. Esse sistema é chamado de geração distribuída.

— Em estados em que a tarifa de energia é mais cara e onde há mais incidência de sol, naturalmente o retorno do investimento será mais rápido. Em São Paulo, por exemplo, um painel gera 20% menos energia que em Fortaleza — explica Meyer.

Segundo ele, há ainda um período de dois meses desde o pagamento do kit até a conexão com a rede da distribuidora, em que o consumidor teria que continuar pagando a conta de luz normalmente. Mas, depois disso, o retorno financeiro é de 15% a 30% ao ano.

A vida útil dos painéis é de 25 a 30 anos, o que significa que, depois que recuperar o investimento, o consumidor ainda terá mais de 20 anos de lucro.

— Esse é um setor que cada vez mais cresce entre a classe C, porque faz muita diferença no fim do mês para famílias com gastos altos de energia. O grosso das vendas, 75%, está no segmento residencial, em que o sistema fotovoltaico de R$ 25 mil é o mais vendido, com 12 a 14 placas — conta o presidente do Portal Solar.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o país possui atualmente mais de 518 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede.

Fonte: Extra